Uma vez por ano, as energias do Brasil se alinham em um só ritmo para formar um dos maiores eventos do mundo. Ninguém precisa te dizer o que é: o tambor bate e reverbera dentro de você. As cores invadem todas as ruas e, sem perceber, de repente você também está brilhando. E gente, gente, gente, para todos os lados.

Primeiro, você vai se admirar com a escola de samba. Depois vai perceber 6 mil pessoas e centenas de instrumentos em perfeita sincronia. Como uma comunidade carente consegue reunir os recursos, se organizar, fazer pesquisas, ensaiar ritmos e desenvolver complexos carros alegóricos?

Bem, eles seguem um samba-enredo.

Do início ao fim, a conexão se mantém a mesma porque todos já ouviram, entenderam e mergulharam em cada estrofe da canção. Uma canção que, além de tudo, é a história em que todo mundo deve acreditar.

Júlio Ribeiro, do Grupo Talent, dizia que entre os estudiosos de administração o melhor exemplo de empresa é a escola de samba. Ela reúne as pessoas em favor de um propósito, encanta as pessoas e gera renda. Tudo para cada detalhe dar certo na hora exata.

Talvez pra você e sua empresa seja uma situação diferente. Talvez você tenha alguns sambistas fora do compasso, talvez você não esteja enxergando quem mereça ser a rainha de bateria ou – o que é mais grave – talvez você não tenha um samba-enredo. Mas, tudo bem, no país do samba nunca é tarde pra tocar o seu tamborim.

Nesse mês, prestes a mais um carnaval, peço para que você reflita sua gestão com a ajuda desse grande exemplo do nosso próprio país. Samba no pé e empreendedorismo na cabeça, entendeu?