O Marketing On-Life é um caminho. E como toda caminhada exige disciplina, nessa estratégia não é diferente. No Brasil, 6 em cada 10 empresas fecham antes de completar 5 anos. Parece absurdo, mas é a nossa realidade. Há quem bote a culpa na situação econômica, o que não é de todo errado. O problema é quando esquecemos de avaliar como nós mesmos executamos a nossa gestão.

Mudar essa estatística é um dos meus principais objetivos. Por isso, resolvi elencar os 7 principais hábitos que toda empresa On-Life possui. Vamos lá:

1 – On/Off? Em que ano estamos?

Nesse ponto eu insisto sempre que posso. A primeira lição de casa para todo gestor que deseja planejar um Marketing On-Life é simples: jogar fora essa diferenciação entre os meios. Na era da comunicação pós-digital, tudo está em constante conexão. Não faz mais sentido desenvolver ações pensadas apenas para um tipo de ambiente, porque tudo acontece na nossa vida. Tudo acontece on life.

2 – O uso da criatividade

Que venha a automação e com ela todas as maravilhas da robótica e inteligência artificial, porque a criatividade nunca vai sair das nossas mãos. Uma ideia criativa é o acesso mais fácil, rápido e econômico para que as pessoas encontrem a sua marca. Nesse sentido, empresas que buscam o caminho On-Life já têm como obrigação uma estrutura favorável à discussão de referências, experimentação e implementação. Ser criativo não é um dom, é um estilo de vida que todos podem – e devem – seguir.

3 – Onipresença

Esse hábito só é possível depois de seguir o nº1 desse post. Somente alguém que reconhece o caráter plural dos ambientes atuais de comunicação pode pensar e agir em várias plataformas ao mesmo tempo. Quando acreditamos em uma comunicação voltada para o dia a dia das pessoas, o efeito é um compromisso indispensável em estar presente em cada lugar onde elas estão, seja nas redes sociais, no jornal mais velho da cidade ou na fila da padaria.

4 – Entender sobre métricas

Algumas pessoas já me perguntaram, e eu até já esclareci aqui no blog: o Marketing On-Life exige, sim, o acompanhamento de métricas. Entender e trabalhar com os resultados da sua empresa é fundamental e não pode ser descartado da receita separada para o marketing.

5 – Prestar atenção na vida

Dois peixes jovens estão conversando no fundo do mar. De repente, um peixe mais velho passa entre eles e cumprimenta “- E aí pessoal, como está a água?”. O peixe mais velho vai embora e os dois peixes jovens continuam no mesmo lugar, até que um deles pergunta ao outro “ – O que diabos é ‘água’?”.

A piada pode parecer um tanto filosófica, e não é por acaso: todo gestor precisa estar consciente da vida que leva. É preciso perceber, entender e interagir com tudo o que o rodeia. Esse é o mindset que possibilita a identificação de novos ambientes e ideias.